Viagem e Turismo

Blog_ViagemPets

Postado em: 17.03.2016

Vai viajar e não quer deixar o animalzinho de estimação para trás? Tomar alguns cuidados é essencial para evitar qualquer problema!

Levar o pet para uma viagem é como viajar com crianças: demanda atenção e cuidado. Além das preocupações essenciais com o conforto e segurança, há regras específicas para o transporte de animais domésticos, seja em viagens de carro, ônibus ou avião. Alguns requisitos básicos incluem documentações, licenças e atestados.

A documentação:

Para cães e gatos é necessário possuir atestados de sanidade e vacinação antirrábica expedidas por um médico veterinário até 30 dias antes do embarque. No caso de viagens de avião, também é necessária a apresentação do GTA (Guia de Transporte animal), documento emitido pelo Ministério da Agricultura e clínicas veterinárias credenciadas.

Para viagens internacionais, cada país tem seus requisitos, procure se informar com antecipação.

Viagens de carro

Aqui, a atenção vai principalmente para o conforto do animal, mas ainda assim há regras. Segundo o Código de Transito Brasileiro, é proibido transportar o animal entre o banco do motorista e do passageiro ou no colo do motorista. Outro ato proibido é transportar o animal externamente: nada de prender gaiolas ou caixa de transporte animal no teto do carro!

Para o embarque em ônibus

Além da documentação, é obrigatório que o animal permaneça dentro da caixa de transporte, havendo a opção de pagar por um acento para a caixa. A empresa de ônibus pode cobrar pelo transporte do animal, sendo permitido apenas dois animais por viagem.

Para o embarque em aviões

A permanência na caixa de transporte animal, que deve ser reservada antes, também é obrigatória e só são aceitos cães e gatos de até trinta quilos – o custo para o transporte, geralmente, é baseado no peso do animal.

Algumas companhias aéreas não transportam certas raças, já que algumas delas lidam mal com as condições de voo. Não se esqueça de se informar de antemão.

Pensando no conforto

Escolha uma caixa de transporte que permita com que o animal fique de pé e possa dar um giro de 360° ao redor de si mesmo. Verifique também o material da caixa, que deve ser rígido e possuir fechos resistentes para proteger seu pet de possíveis impactos ou uma fuga.

Comentar